Descoberta e desenvolvimento de potenciais agentes quimioterapêuticos a partir de invertebrados marinhos e de microrganismos associados

A proposta deste projeto é o isolamento de produtos naturais a partir de extratos brutos biologicamente ativos obtidos a partir de invertebrados e microrganismos marinhos coletados em diferentes regiões da costa brasileira. Extratos de invertebrados marinhos testados em bioensaios de atividades citotóxica e antituberculose, e de atividade antimicrobiana contra linhagens de microrganismos patogênicos humanos sensíveis e resistentes à antibióticos e de atividade inibitória de enzimas participantes do ciclo de vida de protozoários patogênicos, serão submetidos a processo de desreplicação por LC-PDA-MS antes de serem submetidos a fracionamento cromatográfico objetivando o isolamento de compostos ativos. Paralelamente, fungos e bactérias marinhas isolados de invertebrados marinhos (esponjas e ascídias) serão crescidos em condições artificiais otimizadas, visando a produção de metabólitos secundários. Os meios de crescimento dos microrganismos marinhos serão extraídos por adsorção em resina polimérica e por partição líquido-líquido. Extratos dos microrganismos marinhos serão submetidos aos mesmos bioensaios mencionados anteriormente. Todos os extratos (> 500) serão avaliados em novos bioensaios relacionados à inibição ou estimulação de mediadores químicos participantes em processos imunomodulatórios. Extratos com atividade biológica serão submetidos a processo de desreplicação por LC-PDA-MS, objetivando analisar o seu perfil químico e obter informações sobre a presença de metabólitos conhecidos e novos, e com isso obter dados para a priorização do estudo de extratos brutos com substâncias inéditas. Após desreplicação, extratos de microrganismos marinhos também serão submetidos a fracionamento objetivando o isolamento de metabólitos bioativos. Compostos puros isolados serão identificados através da análise de seus dados espectroscópicos e avaliados nos bioensaios nos quais os extratos brutos foram originalmente ativos, objetivando, inclusive, a realização de estudos acerca de seu mecanismo de ação.

Fotografias de Ascídias

Ascídia colonial Clavelina oblonga Ascídia colonial Didemnum granulatum, a partir da qual foram isolados os alcalóides isogranulatimida, granulatimidas e idemnimidas
ascídia ainda não descrita pertencente ao gênero Didemnum Ascídia Lissoclinum sp. , entre colônias da gorgônia Carijoa riisei
Outra ascídia do gênero Lissoclinum Diferentes formas da mesma ascídia Symplegma rubra, a partir da qual foram isoladas diferentes purinas
Diferentes formas da mesma ascídia Symplegma rubra, a partir da qual foram isoladas diferentes purinas Diferentes formas da mesma ascídia Symplegma rubra, a partir da qual foram isoladas diferentes purinas
Ascídia Trididemnum orbiculatum Crédito fotos: Dra. Rosana M. da Rocha

Fotografias de Esponjas Marinhas

Esponja Crambe crambe, do Mar Mediterrâneo, a partir da qual foram isolados uma série de alcalóides guanidínicos, as crambescinas e as crambescidinas Esponja Aplysina caissara, a partir da qual foram isolados cinco alcalóides derivados da dibromotirosina, dos quais dois, as caissarinas A e B, são inéditos
Esponja Amphimedon viridis, a partir da qual foram isolados halitoxinas e uma nova purina Esponja Aplysina fulva
Esponja Aplysina fulva Esponja Arenosclera brasiliensis, a partir da qual foram isolados quatro novos alcalóides bis-piperidínicos macrocíclicos
Esponja Chondrilla nucula Esponja Cliona delitrix, a partir da qual foi isolada a serotonina
Fotografia da esponja Mycale angulosa Crédito fotos: Dr. Eduardo Hajdu